SÁBADOS, ÀS 19H, NO BOM JESUS/IELUSC

Sessão 22/8 - Fanny e Alexander


Fanny e Alexander
Início do século XX, no interior da Suécia, após um alegre Natal na família Ekdahl, o pai de um casal de crianças falece. Deste momento em diante, Alexander passa a ver o fantasma do pai freqüentemente. Tempos depois Emilie, sua mãe, casa-se com um religioso extremamente rígido e as crianças são obrigadas a deixar a casa da avó paterna e passam a viver com a família do padrasto, onde são tratados como prisioneiros. Na casa do padrasto o menino passa a ver o fantasma de sua primeira esposa e suas filhas, que haviam morrido tentando escapar dele. Poético e terno, Ingmar Bergman nos faz acompanhar de modo sensível a fuga de Alexander, que na companhia da irmã Fanny e do fantasma do pai, não se rende a austeridade agressiva do padrasto e tenta salvar a mãe do sofrimento. Vencedor de quatro Oscars (entre eles o de melhor filme estrangeiro) e do Festival de Veneza, Fanny e Alexander é uma das obras-primas de Bergman, que veio acompanhada do anúncio de uma aposentadoria precoce que não ocorreu e que só veio mostrar o quanto o gênio ainda teria a dar à arte do cinema.


Fanny e Alexander (Fanny och Alexander)
Direção: Ingmar Bergman
Roteiro: Ingmar Bergman
Fotografia: Sven Nykvist
Música: Daniel Bell
Origem: SUE/FRA/ALE 1982
Gênero: Drama

:::::

1 Comment:

lipe said...

Ainda estou assimilando toda a idéia do filme. Mas gostei muito dele.Pra mim ele ainda é pertubador.